Cresce investimento das marcas nas redes sociais em 2021

Você acredita nas campanhas pagas como estratégia de marketing digital?  Afinal, será que vale a pena investir em tráfego pago? Algumas marcas podem ser céticas quando o assunto é o investimento em campanhas pagas.  Mas ao mesmo tempo, são as que também ficam frustradas quando têm o trabalho de criar um site que não recebe […]

Cresce investimento das marcas nas redes sociais em 2021

Você acredita nas campanhas pagas como estratégia de marketing digital? 

Afinal, será que vale a pena investir em tráfego pago?

Algumas marcas podem ser céticas quando o assunto é o investimento em campanhas pagas. 

Mas ao mesmo tempo, são as que também ficam frustradas quando têm o trabalho de criar um site que não recebe os acessos esperados. 

É aí que entra o tráfego pago, que pode ajudar a evitar esse problema, tornando-se um aliado.

Para quem é indicado o tráfego pago?

Especialmente para negócios em fase de consolidação, mas também para quem quer aumentar visitas no site. 

Vamos conversar hoje sobre investimento das marcas nas redes sociais e por que vale a pena considerar o tráfego pago nas suas estratégias de marketing digital. 

E já damos a dica: entre 2020 e 2021, cresceu em 60% o investimento de marcas nas redes sociais. Entre as redes que mais se destacaram, estão Instagram e Facebook. Os dados são de relatório da Socialbakers.

Vamos entender então por que tantas marcas estão fazendo esse investimento em campanhas pagas?

O que é mídia paga e o que é mídia própria

No marketing digital, há dois conceitos: mídia paga e mídia própria.

Mídia paga é qualquer forma de investimento realizado para veicular conteúdo publicitário em um espaço, a fim de atingir um público-alvo. 

Há mídia paga tanto no mundo offline (outdoors, comerciais de rádio, anúncios na TV, em revistas e jornais), quanto no mundo online. 

Mas normalmente o conceito “mídia paga” se refere às ações realizadas nas mídias digitais, como links patrocinados, anúncios em redes sociais e divulgação de banners.

Uma pesquisa da PwC mostrou, por exemplo, que no Brasil a publicidade digital deve se igualar à publicidade tradicional até 2023. 

Há diversas ações, formatos e canais de marketing possíveis quando o assunto é mídia paga. 

O objetivo, em resumo, é aumentar a visibilidade da marca, gerando tráfego e expandindo o alcance para atingir novas audiências e fidelizar os consumidores frequentes.

Já a mídia própria diz respeito a todo canal que é propriedade da própria marca, como site, blog e redes sociais.

Assim, a sua empresa tem total controle da mídia, podendo promover os conteúdos desejados a qualquer momento. É óbvio que precisa haver estratégia, certo?

Por exemplo, esses conteúdos podem – e devem – ser impulsionados por estratégias de SEO. 

Dessa forma, seus conteúdos serão mais impulsionados e será possível aumentar o seu tráfego orgânico.

Investimento das marcas nas redes sociais: vale a pena?

No contexto das mídias próprias, há diversas formas de fazer investimento para divulgar a marca, como é o caso de ferramentas disponibilizadas para uso nas redes sociais.

Vamos dar alguns exemplos:

– Instagram

Com o Instagram Empresas, é muito simples anunciar no Instagram. Os conteúdos podem ser divulgados em pelo menos 4 formatos disponibilizados pela plataforma: imagem, vídeo, coleção e carrossel.

Em 2020, o relatório The Global State of Digital, da Hootsuite, revelou que o Instagram tem audiência de quase um bilhão de pessoas: dessas, 92% seguem marcas, clicam em anúncios e realizam compras pelo aplicativo.

Ou seja, um baita negócio, não é?!

– Facebook Ads

É possível veicular anúncios no Facebook, Instagram e Messenger, por exemplo, com o Facebook Ads

A audiência também é muito alta nessas redes sociais. Segundo o Facebook for Business, somadas as redes sociais citadas acima, a audiência gira em torno de 2,1 bilhões de pessoas para os anunciantes.

Isso explica parte do aumento do investimento das marcas nas redes sociais, como mostram os dados da Socialbakers: em 2021, cresceu 60% o investimento de marcas em redes como Instagram e Facebook.

A Socialbakers é reconhecida por fazer análise de performance corporativa nas mídias sociais. 

No primeiro semestre de 2021, a instituição realizou um levantamento das principais tendências da área, analisando dados relacionados à experiência do cliente e ao posicionamento das marcas durante a pandemia.

O estudo aponta crescimento exponencial no investimento em anúncios nas redes sociais, com destaque especial para Instagram e Facebook. 

Quando o assunto é redes sociais, o crescimento foi de 60% na comparação com os números de 2020, ano que já havia registrado alta.

Já em relação à publicidade paga, houve crescimento de 30%. 

Segundo análise do levantamento da Socialbakers, o investimento das marcas nas redes sociais impressiona, pois dispararam, sobretudo em setores específicos.

Por exemplo, os ramos da indústria de bebidas alcoolicas e do setor automotivo se destacaram em investimento nas redes sociais: tiveram crescimento, respectivamente, de 81% e 102%.

Como a marca pode ter boa presença nas redes sociais

Já que estamos falando de mídia paga e redes sociais, é importante explicar um detalhe fundamental: a mídia paga não tem o mesmo efeito que postagens orgânicas em redes sociais.

O alcance orgânico por si só, sem investimentos em mídia paga, pode ser muito baixo. É só navegar em alguns perfis das redes sociais para perceber isso.

São os posts patrocinados que podem trazer nova audiência à sua página. E mais: são eles que chegam a públicos segmentados.

Porém, também é necessário destacar que a mídia paga é parte das estratégias de marketing, mas não é o suficiente. 

É preciso uni-la ao SEO para conquistar autoridade, gerar tráfego consistente e atrair os melhores leads.

A fim de trazer resultados rápidos e fazer lançamentos pontuais, os anúncios podem ser uma boa pedida. 

Mas não esqueça: o conteúdo relevante é insubstituível no marketing digital. 

Isso porque estar bem posicionado no Google sem pagar nada, somente por tráfego orgânico, é um grande mérito.

Voltando às redes sociais: durante a pandemia, o Instagram ganhou muita relevância na comparação com o Facebook, de acordo com a Socialbakers. 

A popularidade do Instagram é 34,7% maior do que o Facebook.

Ou seja, hoje é possível dizer que  a liderança das redes sociais é, sem dúvidas, do Instagram, que saiu fortalecido de 2020.

Por isso, é importante desenvolver estratégias específicas para cada rede social.

Por exemplo, no Facebook, a interação dos usuários se relaciona com conteúdo mais informativo. Já no Instagram, a aposta para atrair visibilidade e notoriedade, em meio à concorrência, é ousar na criatividade. 

No Instagram, também são recomendadas estratégias para estimular engajamento e aumentar o reconhecimento da marca, o que agrega valor à marca. 

Já o Facebook é o espaço ideal para a conversão de leads, pela própria natureza da rede social.

Para fazer bom investimento das marcas nas redes sociais, é preciso ter estratégia. E essa é a expertise do Clube pode lhe ajudar.


Download Midia Kit do Clube

Qual é a sua reação?

like
0
dislike
0
love
0
funny
0
angry
0
sad
0
wow
0
Clube de Negócios